Caritas Socialis



40 Jahre Caritas Socialis in Brasilien Caridade Social: 40 anos de missão no Brasil

Am 3. August 2007 waren es 40 Jahre, dass die Schwestern der CS brasilianischen Boden betraten.

Im September begingen sie dieses Jubiläum in der Wallfahrtskirche Nossa Senhora Aparecida, der Pfarre, zu der sie gehören. Sie feierten mit Diözesanbischof Dom Antônio Wagner da Silva, mehreren Priestern und mit vielen FreundInnen, Ordensleuten, MitarbeiterInnen, freiwilligen HelferInnen und dem Volk der Pfarrgemeinde einen Dankgottesdienst.

Die CS Schwestern feiern 40 Jahre Brasilien

Am 3. August 2007 waren es 40 Jahre, dass die Schwestern der CS brasilianischen Boden betraten. Seither schauen sie auf ein reiches apostolisches Wirken zurück, was nur durch die Gnade Gottes möglich war. Im September feierten sie einen Dankgottesdienst in der Wallfahrtskirche Nossa Senhora Aparecida, in der Pfarre, wo sie ihren Wohnsitz haben.

Mit dem Diözesanbischof und mehreren Priestern feierten sie einen Dankgottesdienst wo viele FreundInnen, Ordensleute, MitarbeiterInnen, freiwilllige HelferInnen, sowie das Volk der Pfarrgemeinde gegenwärtig war.

Es war ein wunderschönes frohes Feiern, wo die Dankbarkeit für das Wirken Gottes sehr stark zum Ausdruck kam.

Unser Herr Bischof Dom Wagner hat sehr schön und liebevoll über das Wirken des Charismas in der Diözese Guarapuava gesprochen und die Schwestern gebeten, die Diözese nie zu verlassen.

So wie die Gründerin Hildegard Burjan sagte: „Wir müssen Gott dankbar sein für die große Gnade Gottes", fanden die Schwestern viele Motive zum Danksagen: „Während dieser Jahre konnten wir die liebende Gegenwart Gottes besonders stark spüren und dadurch das Projekt der CS immer neu und dynamisch verwirklichen. Die Früchte, die in diesen 40 Jahren durch Gottes Gnade gereift sind, konnten in diesem Gottesdienst Gott dargebracht werden."

Zusammen mit Brot und Wein, wurde durch Sr. Stefana und Sr. Pauline, die als Missionarinnen aus Österreich vor vielen Jahren gekommen sind, das „Brot der barmherzigen Liebe in den realisierten Werken unter den Armen und Ausgegrenzten" zum Altar Gottes getragen. So wie Jesus durch die Vermehrung der 5 Brote und 2 Fische eine ganze Menschenmenge gesättigt hat, o ist das Teilen des Wenigen der Schwestern der CS in Brasilien, das sie Gott hingehalten haben, zum „Brot" geworden für den Tisch vieler Menschen.

So wie das Wort Gottes für das Volk in den 40 Jahren der Wüste gegenwärtig war, so war es auch in der Geschichte der CS in Brasilien.

Der Wahlspruch der CS: "Die Liebe Gottes drängt uns" (2 Kor 5,14) war auf ihrem Unterwegssein, der dynamische Leitfaden und die innere Motivation ihres Wirkens.

Als Symbol und zum gemütlichen Beisammensein vor der Kirche, wurden am Ende des Gottesdienstes „sonhos" verteilt, was übersetzt den Namen "Träume" hat (eine Art süßes Brot). Dazu gab es eine tiefsinnige Begründung: „Wenn jemand allein träumt, bleibt es ein Traum, wenn viele zusammen träumen, kann es Wirklichkeit werden"!

Damit wurden alle eingeladen, beim Aufbau einer menschlicheren Welt mitzuhelfen.

Caridade Social: 40 anos de missão no Brasil

As Irmãs da Caridade Social celebraram 40 anos de missão no Brasil no mês de setembro de 2007 no Santuário Nª Sª Aparecida / Bairro Bonsucesso / Guarapuava.

A Celebração Eucarística foi presidida por Dom Antônio Wagner da Silva, que com muito carinho falou sobre o Carisma da Caridade Social, valorizando a presença das Irmãs na diocese de Guarapuava.Também alguns padres estavam presentes.

Para esse momento especial, foram convidados muitos amigos e amigas da Caridade Social, religiosas e religiosos, familiares, e paroquianos.

Esta celebração foi revestida de uma alegria muito especial, e de agradecimento a Deus pelos 40 anos de caminhada no Brasil, especialmente na Diocese de Guarapuava. Foram muitos os motivos que nos levaram a dar graças, sobretudo pelas maravilhas realizadas em nossa missão de tornar presente o amor misericordioso de Deus através do serviço social.

“Devemos agradecer muito a Deus pelas imensas graças recebidas”, disse Hildegard Burjan, nossa fundadoura. Neste período, pudemos experimentar fortemente a presença amorosa de Deus, tornando a Caridade Social um projeto sempre novo, dinâmico e atuante. Os frutos colhidos na caminhada foram muitos.

Junto com o pão e o vinho foram oferecidos o pão da gratuidade, o pão dos projetos realizados nesses anos, que em procissão foram levados até o altar pelas Irmãs Pauline e Stefana missionárias que vieram ao Brasil. Assim como Jesus realizou a multiplicação dos cinco pães e dos dois peixes, também a partilha do pouco oferecido, pela Caridade Social juntamente com amigos colaboradores, tornou-se possível a multiplicação na mesa de tantas pessoas.

A Palavra de Deus estava presente na caminhada do povo pelo deserto. Em nossa história, também sentimos fortemente essa presença. Ela nos guiou e nos iluminou. “O amor de Cristo nos impulsiona”, foi para nós Irmãs a palavra condutora durante esses 40 anos.

HISTÓRICO

A CARIDADE SOCIAL NO BRASIL:

Assim começa a história da Caridade Social:

Durante o Concílio Vaticano II, o Papa Paulo VI fez um apelo às Congregações para abrirem-se mais, expandindo seus carismas e atividades entre as nações, especialmente naquelas onde houvesse maior necessidade.

As Irmãs da Caridade Social acolheram este apelo e começaram a se preparar para abrir uma comunidade na Argentina, mas, Dom Frederico Helmel, no dia em que foi sagrado Bispo em Viena, Áustria, descobriu essa intenção das Irmãs e pediu encarecidamente à Coordenadora Geral que enviasse as mesmas para a sua Diocese de Guarapuava que estava em fase de fundação.

No dia 03 de agosto de 1967 as primeiras Irmãs chegaram ao Brasil. No início colaboraram na organização da catequese na Diocese, onde puderam conhecer a realidade social e ver bem de perto a pobreza e miséria em que vivia grande parte da população. Sensibilizadas com essa realidade, sentiram que para evangelizar, era necessário criar condições, a fim de que as pessoas pudessem viver de maneira mais digna e humana.

Em 1970 fundaram o Departamento Diocesano de Promoção Humana, onde desenvolveram o seu apostolado social, tendo como prioridade a família, sobretudo, a mulher.

· Realizaram encontros de formação para as famílias.

· Reuniram semanalmente vários grupos de mulheres da periferia de Guarapuava para dar-lhes formação em diversas áreas e assim influenciar cada vez mais o espaço familiar.

· Organizaram mais de 70 Clubes de Mães e vários grupos de gestantes.

· Como não havia locais para estes encontros, foram organizados e construídos oito Centros Comunitários nos bairros de Guarapuava.

· Percebendo cada vez mais as causas do empobrecimento do povo, entre elas, a falta de capacitação para o trabalho, promoveram cursos profissionalizantes que na época não existiam. Em Convênio com a LBA (Legião Brasileira de Assistência) foi realizado um total de 284 cursos, entre eles: Corte e Costura Arte-Culinária, Confecções de Acolchoados, Auxiliar de Enfermagem, Parteira e Economia Doméstica para as mulheres. Para os homens: cursos de Pedreiro, Encanador, Mecânica Geral, Eletricista e Marceneiro. Muitos destes cursos foram realizados na Casa de Formação de Lideres em regime de internato por várias semanas.

· Com a finalidade de atingir também a área rural, foram preparados instrutores que se tornaram multiplicadores ministrando cursos nas comunidades para as pessoas interessadas.

· Movidas pelo desejo de colaborar ainda mais na construção de um mundo melhor, em 1980, as Irmãs se lançaram para uma obra muito especial em um dos bairros de Guarapuava: a construção de um Núcleo Habitacional que recebeu o nome de Núcleo João Paulo II (ano em que o Papa João Paulo II visitou Brasil). Foram construídas 96 casas em forma de mutirão. As próprias famílias ajudaram na construção e ao mesmo tempo faziam cursos de Pedreiro, Carpinteiro, Eletricista e Encanador, aprendendo assim uma profissão.

· Para acolher os filhos, cujas mães precisavam trabalhar, foi construída uma creche. Durante treze anos, as Irmãs da Caridade Social administraram esta obra, proporcionando às crianças uma educação adequada e realizando também um trabalho educativo com as famílias das mesmas.

· Por falta de vagas nas Escolas Públicas, tornou-se necessário a construção de uma escola a qual recebeu o nome da Fundadora da Caridade Social: “Escola Hildegard Burjan”, que no icício funcionava em regime integral.

· A Comunidade São Luis foi crescendo e a pequena capelinha de madeira não mais comportava o número de participantes nas celebrações e por esse motivo as Irmãs mobilizaram a construção de uma nova igreja. Isso nos lembra do que disse Hildegard Burjan: “Todo trabalho social é vazio, em vão, se não tivermos em vista o principal de tudo e o mais precioso : preparar os caminhos para que as pessoas possam encontrar o verdadeiro sentido da vida e o seu fim último: Jesus Cristo!”.

· Hildegard Burjan desejava que a Caridade Social deixasse se tocar pelas necessidades mais urgentes, indo ao encontro dos irmãos para levar-lhes amor e justiça social. Assim as Irmãs se lançaram (1994-1995) para uma Nova Campanha de Solidariedade a fim de melhorar as condições de vida de 121 famílias na Vila São Luís que viviam em extrema necessidade. Com as próprias famílias e com a colaboração generosa de muitas pessoas, foram construídas 140 casas de madeira. Na alegria de ter uma moradia digna muitos disseram: “Agora ninguém mais pode nos chamar de favelados e vagabundos, agora somos gente também”.

A Caridade Social permaneceu por 16 anos na Comunidade São Luís, procurando caminhar junto com o povo, mas conforme os princípios de sua Fundadora que dizia “Cumprindo uma tarefa, aliviada uma necessidade, devemos estar dispostas para empreender novas iniciativas”. Então, entregaram as atividades para a Congregação das Irmãs Salesianas dar continuidade e fizeram a opção de abrir uma nova comunidade na periferia de Curitiba e aqui em Guarapuava dar prioridade ao trabalho da Pastoral da Criança na Diocese.

E assim, desde 1996 a Caridade Social está presente no Bairro Novo, Curitiba, nas Comunidades Eclesiais de Base onde atua em projetos sociais como: Padaria Comunitária, Pastoral da Partilha, Projeto dos Catadores de Papel e Pastoral do Adolescente. Em Guarapuava continua a Casa de Formação para as jovens que desejam seguir este ideal. As Irmãs atuam na Pastoral da Criança, um trabalho que já vem sendo desenvolvido desde 1986 na Coordenação Diocesana.

E assim, desde 1997 a Caridade Social tornou-se presente no Bairro Novo, na periferia de Curitiba, nas Comunidades Eclesiais de Base onde implantou a Pastoral da Criança, coordenou os Grupos de Partilha, colaborou na Formação de Lideranças e na Assessoria de várias Pastorais, e criou cinco Projetos Sociais: Padaria Comunitária, Oficina de Costura, Clube de Troca e Economia Solidária, Inclusão Digital e Cidadania e o Projeto dos Catadores de Papel.

Conforme os princípios anteriormente já citadas, as Irmãs entregaram as atividades para os leigos da paróquia e voltaram no início deste ano de Curitiba, se preparando para algo novo.

Em Guarapuava, a Caridade Social continua na Pastoral da Criança, implantado na Diocese pelas Irmãs em 1986 , coordenado e acompanhado por elas desde então. Atualmente a Pastoral da Criança está presente em 45 Paróquias, atingindo 32 Municípios, acompanhando 11.311 famílias, atendendo 17.273 crianças de 0 á 6 anos e orientando 744 gestantes através de 1520 líderes voluntárias. (Falar da formação contínua)

A partir de 2005 abriram neste Bairro a Casa de Formação.

(Em Guarapuava continua a Casa de Formação) para as jovens que desejam seguir este ideal.

A Caridade Social permaneceu por 16 anos na Comunidade São Luís, procurando caminhar junto com o povo. Conforme os princípios de Hildegard, “Cumprindo uma tarefa, aliviada uma necessidade, devemos estar dispostas para empreender novas iniciativas”, as Irmãs fizeram uma opção: abrir outra comunidade em Curitiba no meio do povo. E assim, desde 1996 a Caridade Social está presente no Bairro Novo, Curitiba, nas Comunidades Eclesiais de Base onde atua em projetos sociais como: Padaria Comunitária, Pastoral da Partilha, Projeto dos Catadores de Papel e Pastoral do Adolescente. Em Guarapuava continua a Casa de Formação para as jovens que desejam seguir este ideal. As Irmãs atuam na Pastoral da Criança, um trabalho que já vem sendo desenvolvido desde 1986 na Coordenação Diocesana.